Pular para o conteúdo principal

Encantaria



Encantaria
( Neucivaldo Moreira/Elenice Dorneles)

Encanto !
São teus olhos assim
Sem dó de mim
Admirando-me
Sem rodeios
Mesmo distante, tão perto.
Sem curvas e direção certa.
Puro mistério.

Feitiço!

Despe-me
Permita-se encantar
A poesia permite
Jogue-se ao luxo do poema
Cetins de palavras
Traçadas à chegada hora do beijo.

Encanto!

A partida incerta do desejo certo,
dessa encantaria.
O encanto do caminho florido.
Entre os passos silábicos
Flores jogadas
Derramando cores       
Apagando dores de paixão antiga.
Pelo feitiço do olhar.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tempo de Poema

Tempo de poema
Neucivaldo Moreira Há tempo para um novo poema Tempo de sair das lágrimas Mergulhar na vida que solta escorre.
Tempo de sair de onde quer ficar Tempo de ir Rir do que foi Do que ser Do que será Num tempo de consciência.
Sempre há tempo para um novo poema Talhar a pedra bruta da vida Moldar a vida Moldar à vida Mudar a vida.
Há tempo! Olhar o tempo que ficou no sempre Da promessa em tempo que a vida sempre Engasgado verso que não quis falar, Num tempo de não ser.
Há tempo para um novo poema Pela mão amiga dirigir um verso Pela dor mais próxima uma linha finda, Não é verso, apenas um caminho, no tempo. E na lágrima triste, a alegria insiste A paixão que no tempo há.
Ainda há tempo para um novo poema. Tempo de ser. Tempo de estar. Circular o tempo. Tempo circular. Amar.